Livros esquecidos no Grande Méier

Crédito da foto: Deriva dos Livros Errantes

Dezenas de livros, a maioria títulos infantis e juvenis, estarão “esquecidos” em diversas ruas de bairros do Grande Méier de 16 a 19 de setembro de 2017. Quer saber onde? O mapa digital indica os lugares. Quem chegar até as obras encontrará também a segunda edição da fanzine Deriva dos Livros Errantes e um marcador de página.

Essa será a segunda ação direta de distribuição de livros que o projeto Deriva dos Livros Errantes organiza na região. Com o tema A criança e o território de brincar, essa nova edição da iniciativa tem o objetivo de discutir a importância de as crianças estarem presentes nos parques e praças dos bairros, brincando, descobrindo e aprendendo.

O projeto é mantido por um morador da região, que conta com o apoio de amigos e de editoras colaboradoras na doação de livros. Quem quiser ajudar com obras literárias e gibis pode entrar em contato com o Deriva dos Livros Errantes por meio da página do projeto no Facebook (facebook.com/derivadoslivroserrantes), pelo e-mail derivaerrante@gmail.com ou pelo WhatsApp 21 99675-1307.

Anúncios

Um chicletão na praça Agripino Grieco

esculturachiclete_agripinogrieco

Passei por essa escultura da foto no último domingo na praça Agripino Grieco. O chiclete gigante é parte da exposição Problemão, que quer mostrar como em grande quantidade o lixo pequeno pode ser um baita incômodo no dia a dia. Há mais três esculturas em outros bairros da cidade: uma guimba de cigarro na Cinelândia, no Centro; um copo de café derramado na praça Antero de Quental, no Leblon, Zona Sul; e um canudo no calçadão de Bangu, Zona Oeste do Rio.

A exposição, inaugurada em 5 de setembro, é uma criação do movimento Rio Eu Amo Eu Cuido, que atua em três eixos: limpeza urbana, comportamento no deslocamento e preservação e conservação dos espaços públicos. Para esse trabalho de intervenção na paisagem urbana com a instalação das esculturas gigantes representando lixo, o movimento tomou como base dados da Comlurb. De acordo com a Companhia Municipal de Limpeza Urbana, guimbas de cigarro, copos descartáveis, chicletes e canudos são justamente os itens mais difíceis de serem recolhidos pelos garis, quando descartados de forma inadequada.

Além disso, o descarte irregular de objetos pequenos — com volume de até1m3 — nas ruas é causador de cerca de 65% das multas aplicadas pelo Programa Lixo Zero, da Comlurb. O valor da penalidade para quem joga esse tipo de lixo no chão é de R$ 185.